segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Situação Ímpar

Hoje aconteceu algo muito esquisito e depois fiquei feliz de ter ajudado.
Deixei Rafaela no colégio e desci rapidinho, passei em casa, peguei a bolsa e fui pro serviço. Para quem não sabe é uma linha reta. Moro entre o Colégio da Rafa e o meu serviço. Tudo pertinho.
Quando passei em frente a um prédio antes de cruzar a avenida Protásio Alves, avistei uma mocinha de seus 19, 20 anos, pela bem branca, cabelos escuros e amarrados, de uma delicadeza ímpar, mas parada e com os lábios meio arroxeados. Imaginei que estivesse com frio.
Ela pediu baixinho:
"- Moça, a sra pode me ajudar a cruzar a Protásio para eu tentar chegar no Clínicas? Eu tenho síndrome do pânico e estou aqui há mais ou menos uma hora e não consigo dar um passo..."
Meu coração quase parou, eu teria levado ela no colo, juro! Claro, por um instante desconfiei, mas quando ela começou a falar, querida, me cortou o coração.
Me disse ainda que a pessoa que ía com ela não pode passar por ali e ela tentou ir sozinha. Que se trata há três anos no CAPS e ainda não obteve um resultado satisfatório.
Como trabalho lá no hospital, para mim era caminho e mesmo que não fosse, levaria a menina de qualquer maneira.
Deixei meu telefone, pois passo ali todos os dias na mesma hora e se ela quiser, pode me esperar que eu vou junto. A mãe dela pega ela no final da tarde todos os dias.
...
Juro que nunca vou compreender porque pessoas tão cheias de vida são acometidas por transtornos e distúrbios de personalidade, que acabam com famílias inteiras, deixam elas próprias e os que a cerca arrasados... é injusto, é triste, eu sei e me solidarizo com todos que portam ou vivem esse tipo de situação! Por isso, nesse instante, peço por todos que sofrem deste mal, parentes, amigos, doentes, enfim!
Comentários
2 Comentários

2 comentários:

  1. marilia:
    estas pessoas são especiais,e infelizmente muitas vezes não sabemos o que aconteceu em dado momento de sua vida que virou a vida delas ao avesso. só me atrevo a dizer uma coisa: é para isso que pessoas como você existem: para dar a mão e apoiar,apenas apoiar. Obrigada por existir.

    ResponderExcluir
  2. Marília, que história comovente.
    Qd alguém vive esta situação sobre todos ao seu redor.
    Que bom que Tu surgiste no caminho desta jovem.

    ResponderExcluir

=^o^=

Meus Tweets