quinta-feira, 18 de março de 2010

PEQUENAS PERFEIÇÕES PERVERSAS

Meiguice e doçura
Transbordante
De feracidade.
Um quero-não quero,
Um dengo eterno:
Eu te amo
Ou te arranho.

Ora sou fera,
Ora sou macho.
Rebelde
Nas mais imperfeitas
Horas.
Foto da minha Moa - by Giane Portal
As luvas de veludo,
As unhas perfuram
No momento
Mais inesperado.

Ora respiro
Profundo,
Ora quase durmo,
Mas com os olhos
Sempre despertos.

De dia adormeço,
À noite amanheço,
Já dizia o poeta...

Branco, malhado
Ou tigrado.
Por tudo ou por nada,
Aceso ou parado
É que sou forte,
O filho da mata,
Perfeito e amado,
O grande felino!

O gato

Claudia Pastore
Comentários
3 Comentários

3 comentários:

  1. Quilida Moa...
    Maix paxonadu qui ieu num tem.
    Vucê ficô dimaix nesta fotóca.
    Jeteme bocú...
    Du xeu
    Chouchou Olivier.
    Etelnamente apaixonadú.

    ResponderExcluir
  2. Renata, eu só transcrevi a poesia!
    Obrigada mesmo assim!!!! =D
    ====
    Chou querido!!!! A Moa te amaaaaaaaaaa! Lindo!

    ResponderExcluir

=^o^=

Meus Tweets